Buscas

Pesquisa personalizada

terça-feira, 20 de setembro de 2011

A ARTE DE SALVADOR DALI.


A semelhança entre a figura de Narciso e a imagem da mão de pedra e do ovo leva-as a se fundir numa espécie de imagem dupla ."

Dali decidiu pintar o instante da transformação de Narciso em flor .Na parte esquerda do quadro , um jovem ajoelhado mira o próprio reflexo nas águas .
A medida que o expectador olha para essa imagem , decodificando a complicada pose dos joelhos e dos braços , vai ficando evidente que ela tem um formato exatamente igual à imagem da parte direita , que mostra uma mão de pedra que segura um ovo de onde nasce um narciso . Uma vez percebida essa forma , tendo a vista percorrido toda a superfície da tela , torna-se difícil retornar a Narciso sem rever involuntariamente , projetada sobre seu corpo , a imagem da pedra segurando o ovo . É o seu destino . A punição ocorre enquanto o espectador vê a pintura . É o expectador o responsável pela metamorfose de Narciso.

Fonte:
http://nanamada.blogspot.com/2007/06/arte-e-psicanlise-freud-e-salvador-dali.html

domingo, 18 de setembro de 2011

Filme Histórico





Sr.Carlos Murilo, primo de JK, faz a entrega da medalha ao professor da UnisulVirtual Charles Cesconetto


Uma foto registra a reação de um dos personagens políticos mais emblemáticos da históriado Brasil ao ler a manchete do jornal: “Cassado JK”, em letras maiúsculas. Diante da notícia, em 1964, Juscelino Kubitschek decidiu sair do país e se mudar para a França.

Esse período da vida do ex-presidente que construiu Brasília, antes registrada por poucas imagens e restrita a memória de amigos e conhecidos, é tema do documentário “JK no exílio”, produzido e dirigido pelo coordenador do curso de Tecnologia em Multimídia Digitalda UnisulVirtual, Charles Cesconetto.

O pré-lançamento do filme ocorreu na cidade de Diamantina (MG), onde nasceu JK, dia 12 de setembro, data em que completaria 109 anos. No evento, Cesconetto recebeu a medalha JK, que foi instituída em 2005 e se destina a premiar o mérito cívico de personalidades e entidades que tenham prestado serviço de excepcional relevância à coletividade do Município, do Estado e do País.

O diretor considerou a medalha um prêmio pelo filme e a dedicou a toda a equipe, além de dividi-la principalmente com Carlos Alberto Maciel, idealizador do documentário, e a Maria Alice Gomes Berengas, secretária de JK na ocasião do exílio e principal fonte de informações.

O filme de 51 minutos começou a ser rodado em 2008 e foi finalizado no fim de 2010. Mostra cenas na capital francesa, no Rio de Janeiro e em Brasília e traz depoimentos inéditos de pessoas próximas a JK, como o jornalista Carlos Heitor Cony e a filha Maria Estela Kubitschek.

Personalidades como a escritora Maria Maria Adelaide Amaral já deram depoimentos sobre a produção: “JK no Exílio é um documentário brilhante e sensível sobre uma fase sofrida e praticamente desconhecida na vida de Juscelino Kubitschek”, afirmou ela.

O lançamento oficial do filme ocorre no próximo domingo, 18, no Museu Nacional, em Brasília.

Sinopse: Em 1964, depois de ter seus direitos políticos cassados, Juscelino Kubitschek teve que seguir pelos caminhos do exílio. Este episódio, um dos mais dramáticos em sua vida, é aqui reconstituído a partir dos relatos de amigos, parentes e, principalmente, por meio do testemunho de sua secretária, Maria Alice, exilada até hoje. Cenas únicas de JK no exílio, recuperadas nos arquivos franceses, fotos e cartas nos proporcionam uma viagem no tempo. Este documentário é uma homenagem a JK e à sua fiel secretária no exílio.


Fonte: Site Unisul Virtual acessado em 17/09/2011.
www.unisulvirtual.com.br

OBRA DE ARTE

OBRA DE ARTE
Amores na bela Capital Catarinense.

CINEMA: UM GRANDE PRAZER.

Loading...