Buscas

Pesquisa personalizada

sábado, 14 de junho de 2008

Os Quatro Elementos


Cosmologia

No período anterior ao Pré-Socrático (até aproximadamente VI a.C.) temos todas aquelas posturas que explicavam a realidade a partir do Sobrenatural - mítico- prevalecia a crença no divino, na magia, em deuses.
Já no período pré-socrático (que abrange desde Tales de Mileto [623-546 a.C.] até Sócrates [468-399 a.C.]) temos os primeiros filósofos gregos, iniciando por Tales (o “Pai” da filosofia), que procurando fugir das antigas explicações mitológicas sobre a criação do mundo, queria descobrir um elemento físico que fosse constante em todas as coisas. Algo que fosse o principio unificador de todos os seres, esse elemento primordial (a partir de suas observações) seria a água. Em contraposição temos Anaximandro de Mileto e Anaxímenes de Mileto, chegando assim à pluralidade. Assim se inicia todo o ciclo de indagações e busca a sabedoria que é a filosofia. Características: Período de questionamentos cosmológicos, indagação sobre a origem da vida (Quatro elementos), Arclé. Principais Filósofos: Tales de Mileto, Anaximandro de Mileto, Anaxímenes de Mileto , Pitágoras de Samos(o primeiro a usar a palavra Filosofia[ Philo e Shophia, ou seja amor e/ou respeito pelo saber]), Heráclito de Éfeso, Pensadores Eleáticos: Parmênides de Eléia, Zenão de Eléia(seu discípulo) , Empédocles de Agrigento e Demócrito de http://nefer.multiply.com/journal/item/1/Resumo_da_FIlosofia_OcidentalAbdera .

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Construindo um Império - Grécia [Parte 1] Dublado Brasil

Alexandria.


Construindo um Império - Grécia [Parte 2] Dublado Brasil

Primeiros pensadores.

Tales é apontado como um dos sete sábios da Grécia Antiga. Além disso, foi o fundador da Escola Jônica. Considerado, também, o primeiro filósofo da "physis"(natureza), porque outros, depois dele, seguiram seu caminho buscando o princípio natural das coisas.Tales considerava a água como sendo a origem de todas as coisas. E seus seguidores, embora discordassem quanto à “substância primordial” (que constituía a essência do universo), concordavam com ele no que dizia respeito à existência de um “princípio único" para essa natureza primordial.Entre os principais discípulos de Tales de Mileto merecem destaque: Anaxímenes que dizia ser o "ar" a substância primária; e Anaximandro, para quem os mundos eram infinitos em sua perpétua inter-relação.
No Naturalismo esboçou o que podemos citar como os primeiros passos do pensamento Teórico evolucionista: "O mundo evoluiu da água por processos naturais", aproximadamente 2460 anos antes de Charles Darwin. Sendo seguido por Empédocles de Agrigento na mesma linha de pensamento evolutivo: "Sobrevive aquele que está melhor capacitado".
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tales_de_Mileto

Doce Calipso.

poemastextos.blogspot.com/2007/05/calipso.html

Construindo um Império - Grécia [Parte 3] Dublado Brasil

Expansão do povo grego (diáspora)

Por volta dos séculos VII a.C e V a.C. acontecem várias migrações de povos gregos a vários pontos do Mar Mediterrâneo, como conseqüência do grande crescimento populacional, dos conflitos internos e da necessidade de novos territórios para a prática da agricultura. Na região da Trácia, os gregos fundam colônias, na parte sul da península Itálica e na região da Ásia Menor (Turquia atual). Os conflitos e desentendimentos entre as colônias da Ásia Menor e o Império Persa ocasiona as famosas Guerras Médicas ou Púnicas (492 a.C.-448 a.C.), onde os gregos saem vitoriosos.Esparta e Atenas envolvem-se na Guerra do Peloponeso (431 a.C. a 404 a.C.), vencida por Esparta. No ano de 359 a.C., as pólis gregas são dominadas e controladas pelos Macedônios.
http://www.suapesquisa.com/grecia/

Estátua de Zeus.


A Verdade sobre Tróia - [Parte-4] - Legendado - PT-BR

Sociedade da Grécia Antiga

A economia dos gregos baseava-se no cultivo de oliveiras, trigo e vinhedos. O artesanato grego, com destaque para a cerâmica, teve grande a aceitação no Mar Mediterrâneo. As ânforas gregas transportavam vinhos, azeites e perfumes para os quatro cantos da península. Com o comércio marítimo os gregos alcançaram grande desenvolvimento, chegando até mesmo a cunhar moedas de metal. Os escravos, devedores ou prisioneiros de guerras foram utilizados como mão-de-obra na Grécia. Cada cidade-estado tinha sua própria forma político-administrativa, organização social e deuses protetores.
http://www.suapesquisa.com/grecia/

Mapa da Grécia.


Construindo um Império - Grécia [Parte 5] Dublado Brasil

Cultura e religião

Foi na Grécia Antiga, na cidade de Olímpia, que surgiram os Jogos Olímpicos em homenagem aos deuses. Os gregos também desenvolveram uma rica mitologia. Até os dias de hoje a mitologia grega é referência para estudos e livros. A filosofia também atingiu um desenvolvimento surpreendente, principalmente em Atenas, no século V ( Período Clássico da Grécia). Platão e Sócrates são os filósofos mais conhecidos deste período.
A dramaturgia grega também pode ser destacada. Quase todas as cidades gregas possuíam anfiteatros, onde os atores apresentavam peças dramáticas ou comédias, usando máscaras. Poesia, a história , artes plásticas e a arquitetura foram muito importantes na cultura grega.
A religião politeísta grega era marcada por uma forte marca humanista. Os deuses possuíam características humanas e de deuses. Os heróis gregos (semi-deuses) eram os filhos de deuses com mortais. Zeus, deus dos deuses, comandava todos os demais do topo do monte Olimpo. Podemos destacar outros deuses gregos : Atena (deusa das artes), Apolo (deus do Sol), Ártemis (deusa da caça e protetora das cidades), Afrodite (deusa do amor, do sexo e da beleza corporal), Démeter (deusa das colheitas), Hermes (mensageiro dos deuses) entre outros. A mitologia grega também era muito importante na vida desta civilização, pois através dos mitos e lendas os gregos transmitiam mensagens e ensinamentos importantes।


Cultura e religião

Foi na Grécia Antiga, na cidade de Olímpia, que surgiram os Jogos Olímpicos em homenagem aos deuses. Os gregos também desenvolveram uma rica mitologia. Até os dias de hoje a mitologia grega é referência para estudos e livros. A filosofia também atingiu um desenvolvimento surpreendente, principalmente em Atenas, no século V ( Período Clássico da Grécia). Platão e Sócrates são os filósofos mais conhecidos deste período.
A dramaturgia grega também pode ser destacada. Quase todas as cidades gregas possuíam anfiteatros, onde os atores apresentavam peças dramáticas ou comédias, usando máscaras. Poesia, a história , artes plásticas e a arquitetura foram muito importantes na cultura grega.
A religião politeísta grega era marcada por uma forte marca humanista. Os deuses possuíam características humanas e de deuses. Os heróis gregos (semi-deuses) eram os filhos de deuses com mortais. Zeus, deus dos deuses, comandava todos os demais do topo do monte Olimpo. Podemos destacar outros deuses gregos : Atena (deusa das artes), Apolo (deus do Sol), Ártemis (deusa da caça e protetora das cidades), Afrodite (deusa do amor, do sexo e da beleza corporal), Démeter (deusa das colheitas), Hermes (mensageiro dos deuses) entre outros. A mitologia grega também era muito importante na vida desta civilização, pois através dos mitos e lendas os gregos transmitiam mensagens e ensinamentos importantes।
http://www.suapesquisa.com/grecia/

A verdade sobre tróia - [Parte-5] - Legendado - PT-BR

Polifemo.


Cíclopes.

Os ciclopes, grego Κύκλωψ, pelo latim Cyclope) são gigantes com um só olho no meio da testa. Segundo um hino de Calímaco, eles eram ferreiros e trabalhavam com Hefesto forjando raios para Zeus. Já de acordo com a Teogonia, de Hesíodo, havia apenas três ciclopes, representando o som do trovão, o clarão do relâmpago e o raio. Na Odisséia, de Homero, por sua vez, os ciclopes são caracterizados como filhos de Posídon, compondo uma raça de seres isolados, evitados e temidos que vivem como pastores numa ilha do Mediterrâneo. Segundo essa tradição, os ciclopes viviam numa ilha em que Ulisses desembarcou. Um desses ciclopes, o Polifemo, matou e devorou alguns marinheiros que voltavam da guerra de Tróia. Eles também praticavam antropofagia, por isso os homens mantinham-se afastados deles. Os ciclopes teriam sido mortos, segundo a mitologia grega, por Apolo. Este os matou, pois Zeus, seu pai, matou Asclépio (que ressuscitou alguns mortos), filho de Apolo, com os seus raios. Apolo, não podendo matar o pai, vingou-se nos ciclopes que indiretamente, mataram Asclépio (os ciclopes fizeram os raios usados para matar o filho de Apolo). Conta a história que o ciclope fechou Ulisses e seus companheiros dentro da gruta e enquanto ele dormia, eles cegaram-no. No dia seguinte, o ciclope acordou e viu que estava cego e ficou irritado. Depois de tanto se lamuriar, abriu a entrada da gruta (que era uma pedra) e deixou sair as suas ovelhas para que fossem pastar. Ulisses atou-se a ele e aos seus companheiros no dorso das ovelhas e assim lá conseguiu passar. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ciclope

A verdade sobre tróia - [Parte-4] - Legendado - PT-BR

Aquiles. Vida Gloriosa e breve.


Aquiles

A antiga e rica lenda de Aquiles ilustra a assertiva de que "os eleitos dos deuses morrem jovens", já que o herói preferiu uma vida gloriosa e breve a uma existência longa, mas rotineira e apagada. Aquiles era filho de Tétis (a ninfa marinha, e não a deusa do oceano) e de Peleu, rei dos mirmidões da Tessália. Ao nascer, a mãe o mergulhou no Estige, o rio infernal, para torná-lo invulnerável. Mas a água não lhe chegou ao calcanhar, pelo qual ela o segurava, e que assim se tornou seu ponto fraco - o proverbial "calcanhar de Aquiles". Segundo uma das lendas, Tétis fez Aquiles ser criado como menina na corte de Licomedes, na ilha de Ciros, para mantê-lo a salvo de uma profecia que o condenava a morrer jovem no campo de batalha. Ulisses, sabedor de que só com sua ajuda venceria a guerra de Tróia, recorreu a um ardil para identificá-lo entre as moças. Aquiles, resoluto, marchou com os gregos sobre Tróia. No décimo ano de luta, capturou a jovem Briseida, que lhe foi tomada por Agamenon, chefe supremo dos gregos. Ofendido, Aquiles retirou-se da guerra. Mas persuadiram-no a ceder a seu amigo Pátroclo a armadura que usava. Pátroclo foi morto por Heitor, filho do rei de Tróia, Príamo. Sedento de vingança, Aquiles reconciliou-se com Agamenon. De armadura nova, retornou à luta, matou Heitor e arrastou seu cadáver em torno da sepultura de Pátroclo. Pouco depois, Páris, irmão de Heitor, lançou contra Aquiles uma flecha envenenada; dirigida por Apolo, atingiu-lhe o calcanhar e matou-o. As proezas de Aquiles e muitos temas correlatos foram desenvolvidos na Ilíada, de Homero, que relata a guerra de Tróia. O cadáver de Aquiles, segundo a versão mais comum, foi enterrado no Helesponto junto ao de Pátroclo.
http://www.nomismatike.hpg.com.br/Mitologia/Aquiles.html

A verdade sobre tróia - [Parte-3] - Legendado - PT-BR

Páris

Na mitologia grega, Páris era um dos mais novos filhos do rei Príamo, de Tróia. Foi escolhido pelas deusas Hera, Atena e Afrodite para eleger qual delas era a mais bela. Cada deusa, buscando suborná-lo para ser eleita, prometeu-lhe riquezas e vitórias, mas Afrodite lhe garantiu que se casaria com a mulher mais bela do mundo, a princesa Helena de Esparta. Páris elegeu Afrodite como a mais bela das três, despertando a ira de Atena e Hera, que enviaram os exércitos gregos para destruir Tróia.
Páris, com ajuda de Apolo, derrotou Aquiles, o mais forte e potente guerreiro grego, atingindo-lhe uma flecha no calcanhar, único ponto que poderia matá-lo. Conhecido como um príncipe covarde e volúvel, Páris acha que os únicos prazeres que deveria dar valor eram os da carne. Somente após uma visão atribuida a Apolo, Páris resolveu batalhar na guerra de Tróia.Um de seus últimos atos covardes, atacou Aquíles pelas costas, acertando seu calcanhar com uma flecha envenenada.
http://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%A1ris
http://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%A1ris

Helena de Tróia


Por ela.

O rapto de Helena, que a mitologia grega descrevia como a mais bela das mulheres, desencadeou a lendária guerra de Tróia. Personagem da Ilíada e da Odisséia, Helena era filha de Zeus e da mortal Leda, esta esposa de Tíndaro, rei de Esparta. Ainda menina, Helena foi raptada por Teseu, depois libertada e levada de volta para Esparta por seus irmãos Castor e Pólux (os Dioscuri). Para evitar uma disputa entre os muitos pretendentes, Tíndaro fez com que todos jurassem respeitar a escolha da filha. Ela se casou com Menelau, rei de Esparta, irmão mais novo de Agamenon, que se casara com uma irmã de Helena, Clitemnestra. Helena, contudo, abandonou o marido para fugir com Páris, filho de Príamo, rei de Tróia. Os chefes gregos, solidários com Menelau, organizaram uma expedição punitiva contra Tróia que originou uma guerra de sete anos de duração. Após a morte de Páris em combate, Helena casou-se com seu cunhado Deífobo, a quem atraiçoou quando da queda de Tróia, entregando-o a Menelau, que retomou-a por esposa. Juntos voltaram a Esparta, onde viveram até a morte. Foram enterrados em Terapne, na Lacônia. Segundo outra versão da lenda, Helena sobreviveu ao marido e foi expulsa da cidade pelos enteados. Fugiu para Rodes, onde foi enforcada pela rainha Polixo, que perdera o marido na guerra de Tróia. Após a morte de Menelau, diz ainda outra versão, Helena casou-se com Aquiles e viveu nas ilhas Afortunadas. Helena de Tróia foi adorada como deusa da beleza em Terapne e diversos outros pontos do mundo grego. Sua lenda foi tomada como tema de grandes poetas da literatura ocidental, de Homero e Virgílio a Goethe e Giraudoux.
http://www.nomismatike.hpg.com.br/Mitologia/Helena.html

A verdade sobre tróia - [Parte-2] - Legendado - PT-BR

Transcendência

A figura de Ulisses transcendeu o âmbito da mitologia grega e se converteu em símbolo da capacidade do homem para superar as adversidades. Segundo a versão tradicional, Ulisses (em grego, Odisseu) nasceu na ilha de Ítaca, filho do rei Laerte, que lhe legou o reino, e Anticléia. O jovem foi educado, como outros nobres, pelo Centauro Quirão e passou pelas provas iniciáticas para tornar-se rei. A vida de Ulisses é relatada nas duas epopéias homéricas, a Ilíada, em cuja estrutura coral ocupa lugar importante, e a Odisséia, da qual é o protagonista, bem como no vasto ciclo de lendas originadoras dessas obras. Depois de pretender sem sucesso a mão de Helena, cujo posterior rapto pelo tebano Páris desencadeou a guerra de Tróia, Ulisses casou-se com Penélope. A princípio resistiu a participar da expedição dos aqueus contra Tróia, mas acabou por empreender a viagem e se distinguiu no desenrolar da contenda pela valentia e prudência. A ele deveu-se, segundo relatos posteriores à Ilíada, o ardil do cavalo de madeira que permitiu aos gregos penetrar em Tróia e obter a vitória. Terminado o conflito, Ulisses iniciou o regresso a Ítaca, mas um temporal afastou-o com suas naves da frota. Começaram assim os vinte anos de aventuras pelo Mediterrâneo que constitui o argumento da Odisséia. Durante esse tempo, protegido por Atena e perseguido por Posêidon, cujo filho, o Cíclope Polifemo, o herói havia cegado, conheceu incontáveis lugares e personagens: a terra dos lotófagos, na África setentrional, e a dos lestrigões, no sul da Itália; as ilhas de Eolo ; a feiticeira Circe; e o próprio Hades ou reino dos mortos. Ulisses perdeu todos os companheiros e sobreviveu graças a sua sagacidade. Retido vários anos pela ninfa Calipso, o herói pôde enfim retornar a Ítaca disfarçado de mendigo. Revelou sua identidade ao filho Telêmaco e, depois de matar os pretendentes à mão de Penélope, recuperou o reino, momento em que conclui a Odisséia. Narrações posteriores fazem de Ulisses fundador de diversas cidades e relatam notícias contraditórias acerca de sua morte. No contexto da mitologia helênica, Ulisses corresponde ao modelo de marujo e comerciante do século VII a.C. Esse homem devia adaptar-se, pela astúcia e o bom senso, a um mundo cada vez mais complexo e em contínua mutação. A literatura ocidental perpetuou, como símbolo universal da honradez feminina, a fidelidade de Penélope ao marido, assim como achou em Ulisses e suas viagens inesgotável fonte de inspiração.
http://www.nomismatike.hpg.com.br/Mitologia/Ulisses.html

A verdade sobre tróia - [Parte-1] - Legendado - PT-BR

Fidelidade

Na mitologia, Penélope (Πηνελόπη) é a esposa deUlisses. Era filha de Icarius e sua esposa Periboea. Ela aguarda por Ulisses durante todo o seu retorno da Guerra de Tróia , narrado naOdisséia, de Homero.
Enquanto Ulisses guerreava em altos mares, o pai de Penélope sugeriu que sua filha se casasse novamente. Ela, uma mulher apaixonada e fiel ao seu marido, decidiu que o esperaria até a sua volta. Perante a insistência de seu pai, para não desagradá-lo, Penélope resolveu aceitar a corte dos pretendentes à sua mão, mas com uma condição: casaria somente após terminar de tecer uma colcha. Colcha esta tecida em tricot, para que a noite o destrabalho rendesse.
E assim fez: de manhã aos olhos de todos, Penélope tecia a colcha, de noite ela a desmanchava। E foi assim até uma de suas servas descobrir a mentira e contar toda a verdade. Ela então teve outra idéia e fez a proposta para seu pai e para seus pretendentes que o homem que conseguisse atirar uma flecha com o arco que Ulisses tendeu, poderia se casar com ela, e foi assim que nenhum pretendente conseguiu. Até o dia em que um mendigo pediu para tentar atirar e conseguiu, na mesma hora Penélope reconheceu seu amado marido Ulisses. Penélope só teve um filho chamadoTelêmaco, filho de Ulisses.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pen%C3%A9lope"

O Cavalo De Tróia


A História de Tróia

Tróia

Tróia

Cidade proto-histórica, famosa na literatura e na lenda, identificada com uma das noves cidades superpostas descobertas na colina de Hissarlik, no extremo noroeste da Anatólia, dominando o Helesponto (Estreito de Dardanelos, na costa noroeste da Turquia)। Seu interesse arqueológico é sobrepujado pela sua importância literária. A guerra que lhe causou a destruição está narrada na Ilíada, os mais antigos poemas épicos do ocidente, escritos antes de 750 a.C. e que se atribui a Homero. Este poema foi o primeiro do Ciclo Troiano - nome tradicional do complexo conjunto de lendas relacionadas à conquista e destruição da cidade de Tróia (ou Ílion, daí o nome Ilíada) por uma coalizão dos povos helênicos que prolonga na Odisséia, também atribuído a Homero, mas de composição posterior; ressurge na Eneida, de Virgílio, que conta a viagem de Enéias, de Tróia à Itália, passando por Creta, pelo Epiro, pela Sicília, por Cartago e novamente pela Sicília; e através de poetas como Dictys Cretensis, pseudo-historiadores como Dares e do escritor bizantino Joannes Tzetzes, refloresce no Ocidente Medieval com o “Romance de Troe” de Benoit de Saint-More(1184).
http://www.natalpress.com/index.php?Fa=aut.inf_mat&MAT_ID=4652&AUT_ID=24

Il Parnaso

Deuses antigos.


Todos os povos da Antigüidade procuraram explicar, da melhor maneira possível, a origem do Universo e a existência dos fenômenos naturais de que dependiam para sobreviver. Sumérios, egípcios, acádicos, hebreus, chineses, indianos e gregos, entre outros, consideravam as forças naturais entidades "sobrenaturais" e poderosas que chamavam de divindades ou deuses.
Os gregos organizaram as divindades em "famílias divinas", com todas as virtudes e todos os defeitos das famílias humanas. Desenvolveram, também, genealogias para explicar satisfatoriamente tanto a criação do Universo, ou "cosmogonia", como a origem dos deuses, ou "teogonia".
Os deuses primordiais ou da 1ª geração eram entidades que haviam gerado o mundo. Representavam as mais primitivas e poderosas forças da natureza, como por exemplo o relâmpago, e também todos os impulsos básicos da vida, como a morte e o inflexível destino.
A 2ª geração, descendente das forças primevas, ainda transmitia uma visão agitada e indomada da natureza. Ao lado de divindades poderosas, monstruosas e aparentemente incontroláveis, surgiram os primeiros deuses de aparência semelhante à humana.
Mais tarde, com o desaparecimento da potência criadora e selvagem das duas primeiras gerações, as antigas divindades e as novas acomodaram-se, cada uma em seu domínio. Na época da 3ª geração divina os deuses adquiriram forma totalmente humana e o mundo assumiu, finalmente, o aspecto atual: foi o tempo dos "deuses olímpicos".
Segundo as tradições gregas, porém, pouco tempo antes do mundo atual, os deuses interagiam diretamente com os indefesos mortais, e a terra ainda estava repleta de monstros assustadores. Foi a época da quarta e última geração divina.
Fonte: http://greciantiga.org/mit/mit02.asp

Partenon-da-acrópole-Atenas.


Aristóteles.

A alma em Aristóteles.

Segundo Aristóteles, o princípio que dá vida aos seres animados, a alma, possui faculdades. Algumas criaturas animadas possuem todas as faculdades, outras algumas e outras ainda, apenas uma.
As faculdades da alma são: a Faculdade Nutritiva, a Faculdade Sensitiva e a Faculdade Intelectiva. Devemos ter presente que Aristóteles realiza suas investigações partindo sempre do objeto para chegar a identificar o órgão que conhece esse objeto, ou seja, usa o método genealógico. Por exemplo: parte dos objetos visíveis para chegar ao órgão da visão. Ele afirma: É “necessário estudar-se os objetos antes da ação, será acerca deles que devemos em primeiro lugar encetar a nossa investigação [...]” (Aristóteles, 2001, 415a 20, p.60).

OBRA DE ARTE

OBRA DE ARTE
Amores na bela Capital Catarinense.

CINEMA: UM GRANDE PRAZER.

Loading...