Buscas

Pesquisa personalizada

sábado, 1 de dezembro de 2012

CIÊNCIA



                            Nasa promove encontro na internet para negar o fim do mundo

 

RIO - De olho na aproximação do dia 21 de dezembro de 2012, data em que algumas pessoas acreditam que a antiga civilização maia previu o fim do mundo, e no aumento do fluxo de mensagens pedindo esclarecimentos sobre o assunto, cinco cientistas da Nasa participaram esta semana de um debate na internet para responder às dúvidas do público. Durante o encontro na rede social "Google Plus", especialistas da agência espacial americana rechaçaram teorias apocalípticas como a de que um planeta errante chamado Nibiru, ou Planeta X, chocaria-se com a Terra e tentaram colocar um pé na realidade temores como o de uma tempestade solar de grandes proporções que poderia destruir boa parte de nossa tecnologia atual e deixar o planeta às escuras.
- É tudo uma elaborada fantasia - afirmou David Morrison, astrobiólogo do Centro de Pesquisas Ames da Nasa. - Mas a verdade é que muitas pessoas estão verdadeiramente preocupadas e muitas delas escrevem sobre isso para a Nasa. Em particular, fico preocupado com os jovens que escrevem para mim e dizem estar apavorados, que não conseguem dormir, comer. Alguns deles contam que até consideram o suicídio. Acho uma maldade ficarem espalhando rumores pela internet para assustar crianças.
Quanto a Nibiru, um suposto planeta com órbita irregular que levaria 3,6 mil anos para completar uma volta em torno do Sol, os cientistas esclareceram que se um objeto tão grande existisse e estivesse em rota de colisão com a Terra ele já teria sido detectado.
- Não faz nenhum sentido, pois se ele estivesse lá nós o veríamos. Nós estaríamos acompanhando sua trajetória por uma década ou mais e agora ele seria o objeto mais brilhante no céu depois do Sol e da Lua. Você pode derrubar este rumor sozinho, basta sair e olha para o céu - disse Morrison.
Já com relação à atividade solar, uma pergunta feita por um dos internautas surpreendeu a heliofísica Mitzi Adams, do Centro de Voo Espacial Marshall. Segundo o boato citado pelo internauta, a Nasa teria previsto que o Sol sofreria um "apagão" entre os dias 21 e 23 de dezembro.
- Não há nada que conhecemos na física que permita que o Sol se desligue por três dias e depois ligue de novo - respondeu, sem, no entanto, afirmar que estamos totalmente livres de qualquer perigo. - A maior ameaça à Terra em 2012, no fim deste ano e no futuro vem da própria espécie humana.
Além do encontro na internet, a Nasa reeditou no último dia 13 de novembro uma página especial no seu site na internet em que responde a algumas das principais perguntas e temores sobre o fim do mundo. No ar desde 2009, a página já recebeu milhares de visitantes.
Fonte:
Por O Globo (ciencia@oglobo.com.br) | Agência O Globo13 horas atrás
http://br.noticias.yahoo.com/nasa-promove-encontro-internet-negar-fim-mundo-212010446.html

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Homenagem aos poetas amados


 
 
 
CARTA A VILMA
Vera Freitas
Querida amiga-irmã,
Você está certa:
Eu só escrevo por tristeza,
Paixão, insônia ou dor.
Se nada estiver moendo minha alma
Revolvendo meus sentidos
Me tirando o sono e a fome
O lápis fica imóvel
E o papel e branco me contempla
Com irônico, desafiador.
(Não sou poeta de computador.)
 
A alegria não faz com que eu transborde
(nem mesmo de pileque),
Expondo meus avessos, meus escuros,
Mostrando meus remendos descosidos
À luz crua do dia.
A alegria eu apenas sinto.
Passageira,
Ela desliza sobre mim, ligeira,
Me luminando por um momento lindo
E foge na carreira.
 
Minha tristeza fica.
É constante, é fiel, é permanente.
Sua presença se impõe de tal maniera
Que eu tenho de escrever para suporta
E até para acreditar que ela existe
Assim tão desalmada, tão perene,
Assim tão exigente...
 
Só escrevendo posso amortece
Os tombos que eu levo na corrida.
Porque sentir somente
É impossível
Não dá pra aguentar...
 
Por isso, receba meu abraço amigo,
Perdoe o tom lilás dos meus escritos
E esse gostinho amargo que eles tem.
Como é que poderia adivinhar
Que um dia iam ser lidos por alguém?
(Para Vilma Pinto)




                                


BEM QUERER

Charles Fonseca


No quintal de um sobrado
Tinha um pé de fruta-pão
Que a chorar manava leite
Se ferido por facão.
Só que a cada golpe sentido,
Decorrente do desgosto,
Do âmago da cicatriz
Surgia mais novo broto.
Novo broto hei de ser
Do golpe que me atingiu.
Hei de novo esgalhar,
Reflorir, frutificar!
Nova sombra ha de ter
Quem vive pra o bem querer.
 



  A viagem
 
  Mônica M. Klein
 
Quem é que está aqui, neste corpo presente?
É tanta carne, tanto osso, tanta pele...
Não há espaço para nada, por mais que se apele
Não há espaço para nada, neste corpo presente.

 
Falta tato, falta oco, falta o tudo
Que lá fora tudo envolve e me reclama
Qual a graça de caber no próprio drama
Se no fim o corpo todo fica mudo?


 

PARA REFLETIR:


Filosofia da Mente no Brasil


João Teixeira

Filosofia da mente é um estilo de filosofar que nos últimos anos vem recolocando questões centrais da filosofia como: O que é o pensamento? Qual a natureza do mental? O que é consciência? Será o cérebro o produtor da mente? Ou apenas o seu hospedeiro biológico? O principal problema abordado pelos filósofos da mente é a relação mente-cérebro.

A data oficial do surgimento da filosofia da mente é 1949, ano em que foi publicado o livro clássico do filósofo inglês Gilbert Ryle, “The Concept of Mind”. De lá para cá a filosofia da mente se expandiu muito, estabelecendo interfaces com várias outras disciplinas filosóficas como a filosofia da ciência, a filosofia da linguagem, e a filosofia da psicologia. Sua característica distintiva é constituir-se numa investigação impura, na qual a filosofia se alia às ciências que investigam empiricamente os fenômenos mentais.

Dois grandes movimentos científicos interessam aos filósofos da mente: a neurociência, principalmente depois da descoberta da neuroimagem e a inteligência artificial, que mais recentemente tornou-se ciência cognitiva. A inteligência artificial quis produzir máquinas pensantes, a neurociência quis fotografar a consciência, localizando-a num ponto específico do cérebro. Nenhum desses projetos foi concluído, mas ambos vêm tendo conseqüências profundas sobre as comunidades científica e filosófica.

Atualmente a filosofia da mente é um rizoma bibliográfico imenso, com milhares de artigos e livros publicados. Seus autores são, na sua maioria, cientistas-filósofos ou filósofos cientistas.

Fonte:

Acesso: 29/11/1012 -14:30h

OBRA DE ARTE

OBRA DE ARTE
Amores na bela Capital Catarinense.

CINEMA: UM GRANDE PRAZER.

Loading...