Buscas

Pesquisa personalizada

sábado, 25 de julho de 2015

Rembrandt e o Amor

Suely Monteiro

Eu quero muito falar  de  Rembrandt. Mas, o que falar  se não sou conhecedora  dos aspectos técnicos  e estilísticos capazes de validar uma análise?  
Se desconheço a relação entre conteúdo e forma e suas consequencias na obra de arte? 
Se não passei, como muitos,  anos e anos nos bancos da faculade estudando para interpretar seu traçado, suas pinceladas mágicas que faziam surgir rendas do peito de Maria Trip ou sangue do paciente do dr. Jan Deyman?   

               Falar o quê se, para mim, "ponto de fuga"  significa, somente, a saída do meu  cérebro de cena, deixando ao coração a tarefa de falar deste sensível e grande cavalheiro das cores que, como ninguém, conheceu e respeitou as alegrias e dores daqueles que   se "despiram " diante de seus olhos percucientes?!

             Sim. Falar sobre a relação de Rembrandt com a vida e com o amor. ...
O amor pela velhice, pela liberdade de ser e agir, o amor por Saskia com quem se casou aos vinte e oito anos para viver uma felicidade curta regada a luxos e belezas.

Amor por Titus, fruto de seu amor por Saskia. O amor pela vida.

Rembrandt amou e viveu plenamente . Viveu uma  vida permeada de claros e escuros. Saiu da pobreza e obscuridade para a riqueza e a  glória. Retornou à pobreza ultrapassando-a para  quase chegar  à miseria, sem perder a linguagem eloquente transfigurada nas belas obras que embelezam as paredes dos museus e enriquecem os olhos dos turistas e estudiosos.

Em suas obras,  a luz esconde a dor.  
As sombras desvelam a dignidade e o poder.  

Toda a trama é harmonizada nos mesmos moldes que a realidade o harmonizou, independetemente se estava sob o império da alegria, da tristeza ou  da solidão em que o deixou o seu grande amor.

Falar e ver Rembrandt é sentir sua força e pujança . 

É participar, interagir com a magia da arte mesmo não sendo artista e não entendendo de arte.

Com rembrandt, é dificil não se sentir emocionado com o olhar de seu pai e a serena quietude de sua mãe. Com a descida de Cristo da Cruz!

Postar um comentário

OBRA DE ARTE

OBRA DE ARTE
Amores na bela Capital Catarinense.

CINEMA: UM GRANDE PRAZER.

Loading...